quarta-feira, 18 de abril de 2012

Certa vez, um amigo médico, ao me ouvir falando sobre meu desejo de parar de roer unhas, comentou o seguinte:
"Que tudo na nossa vida tem um sentido e um porque. Até mesmo essa mania de roer unhas. Uma pessoa tranquila, serena e meiga, pode estar tendo como escape esse vício. E deixa-lo, pode alterar toda sua personalidade, e a pessoa deixar de ser quem é, ou pelo menos mudar drasticamente seu jeito de ser."
E completou: "Por favor, não deixe de roer as unhas. Se cuide, pinte, frequente a manicure, mas quando sentir vontade de roer, roa. Por favor, não deixe de ser essa mulher menina, flor, meiga, suave, que você é..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário